× cardápios segmentos cupons de desconto galeria conteúdo classificados agenda quem somos fale conosco
Baixe nosso aplicativo:
Quem somos Fale conosco

A sua lista telefônica

Crianças e pets: Convivência é saudável e ensina sobre limites
Pequenos que convivem com animais desde cedo têm menos chances de desenvolver alergias,?
além de entenderem melhor o conceito de respeito e cuidado com o próximo...

A chegada de um pet em casa é sempre bem vinda, principalmente por crianças, que adoram brincar e se divertir com eles. Segundo especialistas em saúde, o contato com os animais desde os primeiros meses de vida ajuda no desenvolvimento do sistema imunológico, levando a criança a crescer com menor probabilidade a alergias. E os benefícios da presença dos bichinhos não páram por aí...

O respeito e a confiança são essenciais para conviver em harmonia com os animais. As crianças logo cedo entendem que existem os momentos alegres e os tristes e que o pet não é um brinquedo. Aprenderão também que os animais nascem, crescem, envelhecem e que um dia esse ciclo termina. Saber como falar e tratar os animais são práticas que ensinam as crianças como devem agir como seres humanos pelo resto da vida.

Quando o convívio é entre um cachorro ou um gato e um bebê de alguns meses o aprendizado é ainda maior. A criança aprende, por exemplo, a controlar sua força na hora de fazer carinho no animal, exercitando sua coordenação motora. Para alcançar o animal que corre pela casa o bebê tenta ir atrás, treinando o engatinhar e até dando os seus primeiros passos.

Avaliar a estrutura da sua casa ou seu apartamento também é muito importante. Peça ajuda de um veterinário para que indique a melhor raça para a faixa etária das crianças. Considere cachorros SRD (sem raça definida), muito alegres e carinhosos, facilmente encontrados em feiras de adoção. Eles esperam ansiosamente por um dono. Se for uma criança cheia de amor para dar, melhor ainda. Isso vale para os gatinhos também!

Você já tem um cachorro ou um gato e o bebê será o mais novo morador? Neste caso, quem terá que se adaptar às novas mudanças é o animal. Comece a fazer as mudanças gradualmente. Tente, por exemplo, já ir espalhando pela casa o cheirinho da colônia do bebê.

Para evitar crises de ciúmes do animal a adaptação deve ser lenta e gradual. Animais considerados como filhos tendem a não aceitar muito bem essas mudanças. Dê um agrado ao pet no dia da chegada do bebê. A associação a coisas agradáveis tornará a aceitação mais fácil. Tratá-lo com carinho e atenção indicará ao pet que essa nova fase é positiva e que todos têm muito a ganhar e se divertir.